Autor: Jean Ramos - 30/01/2017 11h29

Repúdio ao Samba - Sim ao Agronegócio


O agronegócio brasileiro é destaque mundial por sua excelência e competitividade, mesmo com os desafios enfrentados porteira afora. Os produtores cada vez mais informados e conectados à tecnologia tiram da terra não só os alimentos que a população consome todos os dias, mas também a matéria-prima da maior parte dos produtos que utilizamos cotidianamente.

O produtor rural e o agronegócio, do qual é agente ativo, movimentam a economia num ciclo que gera um terço dos empregos no País, responde por mais de 40% das exportações e representa 25% do PIB nacional. Esses números são alcançados com muito suor, profissionalismo, eficiência e respeito à legislação.

Diante de tantas contribuições do agronegócio para o Brasil, é REPUDIÁVEL a atitude da escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense no Carnaval de 2017, em que pretende desfilar um enredo que homenageia o indígena, colocando o produtor rural como seu algoz. E assim, além de demostrar preconceito e desconhecimento por tão valorosa classe, é Inaceitável que a maior festa popular brasileira, que tem a admiração e o respeito da nossa classe, seja palco para um show de sensacionalismo e ataques infundados pela Escola Imperatriz Leopoldinense. O setor produtivo e a sociedade não podem ficar calados diante a essa injustiça. É preciso que o Brasil e os brasileiros não só enxerguem e reconheçam a importância do nosso setor, como se orgulhem dessa nossa vocação de alimentar o mundo.

Lamentamos a condução do Samba enredo pela Imperatriz Leopoldinense e esperamos que seja revisto.



COLUNAS RELACIONADAS