Autor: Talles Lage - 31/07/2017 14h55

Sociedade Cristã e o sistema econômico


Fiz uma reflexão sobre o Evangelho e as necessidades básicas do ser humano quanto os bens de consumo e o anseio dos mesmos... Pois lendo Mateus 06: 25-34, sobre o que comer e ou vestir cabe a nossa dependência de Deus, assim comecei a me perguntar sobre onde foi que nos perdemos assim percebi...

SOCIEDADE TRIBAL JUDAICA X MONARQUIA

Não posso falar sobre o sistema econômico sem relatar o que na minha visão e sem fonte referencial, pois meu objetivo é a expressão sobre o assunto e não escrever um artigo e sim expressar minha opinião ou ao menos escrever, pois nem ao menos sei se vão ler...kkkkkkkkk

...Os Judeus um tanto assustados por serem somente uma tribo que, por Deus não foi dissipada e nem colocada sob jugo de outros e posterior a tantos eventos de grandeza por demonstração do próprio Deus no processo de formação e preservação da mesma fez tantas coisas como:

1- Preservar os mesmos no Egito saindo de meros 75 componentes para alguns milhões de "transeuntes" do deserto;

2- Os guardou durante 40 anos no deserto processo de realocação para Canaã, após terem visto o Mar vermelho se abrindo diante dos olhos;

3- Firmando cada tribo em seu conjunto de posses e firmando acordos para uma convivência pacífica e adoração Teocêntrica...

Agora, depois de tantas providências Divinas os mesmos viram as conquistas dos povos vizinhos como algo surpreendente, pois sua organização monárquica e um exercito portentoso e não apenas pastores de ovelhas, antes nômades e sem preparo militar estavam diante dos olhos que brilhavam almejando algo dessa grandeza.

AGORA COMEÇA O PROBLEMA...

Saul entra em cena como um Rei Coadjuvante e com isso começa a soma de problemas, pois uma família que viva uma administração patriarcal e de uma atividade de renda puramente de subsistência com seus filhos a roda da mesa e uma atenta educação de valores bem arraigadas passando de pai para filhos as tradições da família e etc...

Com o advento de tal “necessidade” tamanha organização precisava de algumas mudanças na rotina do povo antes tribal e agora com locação de mão de obra para atender a nova formatação administrativa...

Deus agora “coadjuvante” e o Rei protagonizando a novela do seu povo... vimos:

1- Filhos saindo do seio da família para atender a demanda militar do exército...

2- Filhas tendo que atender as mais diversas necessidades de manutenção do palácio e cortesias...

3- Pais sem os seus filhos tendo que trabalhar dobrado para pagar os impostos que, por sua vez, era para atender toda a máquina administrativa do Reino...

4- Um governo Monárquico concentrado na existência do povo, conquistas e expansão de poder...

Mas, e o governo Theocêntrico? Deus passa de “Deliberativo” para “consultivo”...

Sabe aí que ferrou tudo e imaginamos no que deu!

SOCIEDADE CRISTà PRIMITIVA X SOCIEDADE “CRISTÔ ATUAL

Depois de tudo isso ainda percebesse na história que após a assunção de Cristo o povo renuncia tudo isso e começa a doar seus bens para o serviço do Reino...
At.02:42-47; acreditando que Jesus estava voltando de forma iminente.

O foco era o Reino e todo esforço concentrado em fazer com que todos pudessem saborear a salvação que, pela Graça de Cristo nos alcançou... nem perseguições, mortes e demais ações de contenção desse ato avassalador que era o Cristianismo na época puderam conter tal avanço...

Vem Constatino e traz o cristianismo como sua religião de brinquedo e começa a ordenar as coisas a seu modo (cultura Grega helenista) e já coloca uma cadeia hierárquica, altar para os “eleitos” distribui geograficamente os clãs de interesse, (a grosso modo), assim piorando começamos a perceber que os bens de consumo começam a aparecer, incorporando a cultura monárquica com a visão cristã do “reino” nomenclaturas aparecem, pois a igreja dos Apóstolos deixa de ter sua raiz Judaica e passa a ter seus alicerces Romanos ... O sincretismo religioso toma conta e mais bens e serviços aparecem.

CRISTIANISMO EM NOVA FORMATAÇÃO

REFORMA URGENTE, então desse arcabouço cristão vem “Lutero” resolve ler a Bíblia e faz um “fichamento” claro que não, mas as 95 teses que, quase lhe custou a cabeça.

O ser humano não contente com isso toma para si uma nova visão “original” talvez, para viver o novo Cristianismo protestante... Hoje já nem sabemos o que protestamos, pois vivemos um evangelho tão bizarro e Idólatra, quanto aos que resistimos e reprovamos.

Hoje, Evangelho de bens e serviços de uma sociedade consumista tomada pelo capitalismo...
Hoje Antes
Deus serve seu povo, pois tem uma “obrigação” em cumprir sua Palavra.. Nós o servíamos antes
Entupimos sua caixa de email com pedidos sobre nossas necessidades, que nem sempre são reais, pois confundimos com vontade... Clamávamos ao Senhor para que Ele nos mostrasse sua vontade a nós para que, nossas reais necessidades fossem supridas
Entretenimento para segurar os perdidos, que continuam perdidos, mesmo freqüentando a igreja... Somente uma vida dedicada a Deus e de serviço, fé e comunhão era necessário para nossa permanência
Relativismo religioso, onde o certo e o errado vai depender do meu contexto, pois é relativo...kkkkkkkkkk O certo era feito e o errado era pecado...
Os cantores são os nossos bezerros de ouro, astarotes, moloque e outros Os cantores eram os simples irmãos que, usavam dessa postura para disseminar a mensagem da cruz e levar a igreja numa dimensão de adoração...
Bens e serviços gospel (consumismo) Fé, comunhão e serviço (trabalho)


FIM TRISTE FIM...

Não coloco isso para dizer que nos perdemos ao longo da história, pois já sabemos disso, mas para ver o quanto disso fazemos consciente e sem culpa...

Já temos até um Papa gospel e para “beijar” seus pés foi necessário fazer uma classificação para achar alguém digno...

Já temos ícones em tudo...

Sabe, vejo a comunidade cristã como um restaurantes, (igreja), onde todos se sentam Deus o proprietário e cada um pega seu cardápio (BIBLIA), o Garçom(Jesus) vem e anota o pedido e se demorar na entrega, reclamamos e se não sair a contento procuramos uma nova filial desse mesmo restaurante que possa me atender com maior satisfação... Pois o cliente tem sempre razão!



COLUNAS RELACIONADAS