Publicidade
Autor: G1 - 01/02/2017 23h16

Em RO, vacinação contra febre aftosa terá calendário modificado em 2017

Segundo Idaron, mudança ocorreu devido à queda na taxa de reprodução.


A partir deste ano, o período de vacinação contra a Febre Aftosa terá mudanças em Rondônia, o calendário será invertido, a etapa de vacinação de todo o rebanho que ocorreria em novembro será em abril. De acordo com a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), a mudança ocorreu porque os produtores rurais reclamaram dos prejuízos na reprodução dos animais após a segunda etapa da vacinação.

De acordo com o gerente da Idaron em Cacoal, Nilton Junior, a próxima campanha de vacinação que ocorre entre abril a maio, o pecuarista deve imunizar todo o rebanho independente da idade. Com isso, o produtor precisa estar atento para evitar transtornos junto ao órgão. “Anteriormente, na campanha de abril e maio eram imunizados os animais com até 24 meses de idade. Em novembro e dezembro, vacinava-se todo o rebanho. Vale a pena ressaltar que a vacinação continua normal, só inverteu o calendário”, explica.

Foto: Divulgação

Segundo Nilton, a mudança foi proposta pela Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon), pois os produtores se queixaram prejuízos na reprodução dos animais, devido ao excesso de manejo durante a segunda etapa de vacinação, que ocorre no fim de ano, prejudicando assim a produtividade do rebanho. “Devido ao excesso de manejo na segunda etapa de vacinação, principalmente as fêmeas estavam sendo prejudicadas, fazendo baixar a taxa de prenhes, baixando também o nascimento de bovinos”, esclarece.

No ano de 2016, segundo a Idaron, foram registrados mais de 35 mil nascimentos de bovinos e bubalinos. O órgão espera que com a inversão do calendário, a taxa de natalidade aumente ainda mais.

O produtor rural Paulo Elifas gostou da mudança. Ele diz que já perdeu muitos animais por conta do manejo que é feito para a vacinação. “Por ser a época da chuva, é muito difícil de fazer o manejo dos animais durante a vacinação. Muitos bezerros acabam morrendo após a vacina. Outras vezes as vacas sofrem traumas e acabam perdendo a cria. Eu mesmo já perdi muitos animais nesse período”, alerta.

O produtor que tiver alguma dúvida pode procurar a Idaron, de segunda a sexta-feira, das 7h30 à 13h30.


NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade