Autor: Renata Kelly / Embrapa Rondônia - 22/02/2018 10h47

Embrapa lança boletim periódico com dados agropecuários de Rondônia

A primeira edição traz informações dos últimos 40 anos de atividades do setor.


A primeira edição traz informações dos últimos 40 anos de atividades do setor - Foto: Arte: Rafael Rocha

A Embrapa acaba de lançar o Boletim Agropecuário de Rondônia que, nesta primeira edição, traz a evolução deste setor no estado. São apresentadas bases de dados de preços dos principais produtos agropecuários de Rondônia, sendo que, para algumas atividades, são exibidas informações comparativas dos últimos 40 anos. Com esse primeiro boletim, a Embrapa Rondônia inicia o acompanhamento trimestral da produção agropecuária no estado, com análises do comportamento do setor como um todo. Esta publicação e as próximas estarão disponíveis no portal da Embrapa Rondônia, ou diretamente no link: www.embrapa.br/rondonia/boletim-agropecuario.

Segundo um dos autores do boletim e analista da Embrapa Rondônia, Calixto Rosa Neto, este periódico reúne um conjunto de informações sobre a agropecuária do estado que está disperso em diversas fontes de dados oficiais, permitindo ao leitor acessar informações de maneira agregada e com análises. Além disso, a citação das fontes consultadas possibilita ao leitor se aprofundar no assunto, consultando-as diretamente. “Com o boletim será possível constatar a transformação da produção agropecuária do estado ao longo dos anos, haja vista que algumas informações datam da década de 70”, ressalta Calixto. O público-alvo desta publicação é a sociedade em geral e, mais especificamente a imprensa, técnicos do setor, estudantes, produtores e empresários que têm interesse na área.

Os dados apresentados foram obtidos de fontes secundárias, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Agência de Defesa Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), a Emater-RO, entre outros. A Embrapa, como empresa pública de pesquisa agropecuária, tem que se municiar de um conjunto de informações que lhe possibilite conhecer o cenário produtivo do estado, de forma a direcionar suas atividades de pesquisa e transferência de tecnologia de maneira proativa. “A produção e disponibilização de informações socioeconômicas se insere nesse contexto, pois ao destacar a importância da atividade agropecuária para a economia do estado reforça também a importância da Embrapa enquanto empresa de pesquisa, no sentido de oferecer soluções tecnológicas para as principais demandas advindas desse setor”, explica Neto.

O primeiro boletim

A agropecuária em Rondônia vem se consolidando cada vez mais no cenário econômico regional e nacional. As análises contidas nesta primeira edição do boletim demonstram este bom desempenho ao longo dos anos. De acordo com a publicação, em 2017, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBPA) do estado alcançou seu maior valor, de quase 8,8 bilhões de reais, desde 2008, conforme dados divulgados pelo Mapa.

Na produção de grãos predominou, até finais dos anos 90, o cultivo de milho, arroz e feijão. Embora a área plantada com o milho tenha declinado até 2002, a partir daí voltou a crescer, alcançando 197,1 mil hectares (ha) na safra 2016/2017. Já o arroz e o feijão apresentaram redução significativa ao longo desses anos. Por outro lado, o plantio da soja apresentou forte evolução a partir de meados dos anos 2000, sendo que na safra 2016/2017 a área plantada com esse grão foi de 296 mil hectares.

O café segue a tendência de aumento da produção por meio de maior produtividade, já que a área plantada com a cultura vem diminuindo ao longo dos anos. Variedades clonais, mais produtivas, melhores tratos culturais e irrigação são fatores que explicam a evolução em curso. De 2001 até 2017, a área em produção reduziu 69,7%, mas houve aumento significativo da produtividade em 234,8% no período.

A produção de mandioca, nos últimos dois anos, tem-se mantido estável, embora em 2017 a quantidade produzida desse tubérculo tenha decrescido 1,5% em relação à safra anterior, enquanto a área colhida cresceu 0,7%. Já a banana apresentou significativa evolução no referido ano, tanto da área plantada quanto da quantidade produzida, com aumento de 44,4% e 49,8%, respectivamente; por outro lado, a produtividade aumentou 3,8%.

No que diz respeito à produção animal, houve retração de 2,5% no abate de animais em 2017 em relação a 2016. A quantidade de leite produzido, que em 2014 alcançou seu maior nível de produção, de 940,6 milhões de litros, decaiu desde então, chegando a quase 791 milhões de litros em 2016. Já a piscicultura vem apresentando evolução significativa desde que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começou a divulgar os dados do setor, passando de uma produção de pouco mais de 25 mil toneladas em 2013 para 90,6 mil toneladas em 2016, com crescimento médio anual de 53,3%.

Carne bovina e soja em grãos, principais produtos de exportação do estado, apresentaram desempenho positivo em 2017 nas vendas externas, com ganhos de 24,3% e 20,3%, respectivamente, quando comparado com 2016.

Estas são apenas algumas das informações contidas neste boletim. A próxima edição apresentará os indicadores das safras de 2017/2018, bem como as perspectivas para o setor agropecuário neste ano.


NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade