Publicidade
Autor: Extra de Rondônia - 07/06/2018 11h20

Entenda reviravolta que levou motorista de carga roubada de vítima a suspeito

O delegado decidiu pela prisão dos envolvidos até que os fatos sejam realmente esclarecidos.



Na noite de quarta-feira, 06, Ualansy Coutinho Machado, de 34 anos, que até o momento era considerado vítima de um roubo de carga, onde foram levados 60 mil litros de diesel, acabou preso após ser localizado em um mata, localizada a cerca de 130 km da BR-364, por guarnições da Polícia Militar de Chupinguaia, e dos distritos Novo Plano e Boa Esperaça.

Durante as buscas, os militares gritavam pelo nome de Ualansy, quando derrepente, saiu da mata um homem, que ao ser questionado se era a suposta vítima, que segundo informações preliminares, estava desaparecido, este apenas acenou de longe com uma das mãos, afirmando que não. Quando um dos militares tentou se aproximar, o suspeito embrenhou-se na mata fechada e conseguiu fugir.

Em continuidade as buscas chamando pelo nome de Ualansy, o mesmo saiu da mesma mata e afirmou que aquele homem, que havia corrido, era um dos assaltantes, que havia ficado no local o fazendo de refém, enquanto o outro meliante fugia com a carga de seu caminhão.

No momento em que os Militares retornavam para o quartel de Chupinguaia, ainda em diligências em prol da localização do suposto sequestrador, um homem identificado como Gilvan Sperancedete de Araújo, de 24 anos, também saiu da mata, alegando que havia sido vítima de um roubo igual ao ocorrido com Ualansy, onde foi levado seu caminhão.

Já na no quartel, Ualansy afirmou que no dia anterior, teria dado carona para uma mulher que estava sentada em um quebra-molas no Distrito de Riozinho, localizado próximo a Cacoal e que rodou com a mesma até um posto de combustíveis localizado em Pimenta Bueno, onde pernoitaram, seguindo viagem na manhã de quarta-feira, 06.

Segundo o caminhoneiro, a cerca de 70 km de Vilhena, passou com um dos pneus do caminhão por cima de umas molas que estavam jogadas na pista e parou para verificar se as mesmas não tinham rasgados algum dos pneus, neste momento, foi rendido por dois bandidos aramados, que o fizeram refém, o levando para a mata onde foi encontrado, próximo ao Guaporé, até o momento em que foi localizado pelos militares.

Com relação ao paradeiro da mulher que o acompanhava, que se identificou como Jéssica, Ualansy não soube informar detalhes, Já Gilvan, não soube informaras características de seu caminhão roubado e nem informou para quem trabalhava, afirmando apenas que havia sido vítima de um crime de roubo, no mesmo lugar que Ulansy.

Já na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) de Vilhena, Gilvan acabou confessando que havia sido contratado para realizar o roubo da carga do caminhão de Ualansy e que na noite anterior ao crime, dormiu em um hotel, localizado na Avenida Sabino Bezerra de Queiroz, em Vilhena, de onde saiu para a prática do crime, dirigindo um veículo modelo Voyage.

Ainda segundo Gilvan, a mulher e mais três pessoas participaram da ação, compactuados com o motorista Ualansy, que mantem sua alegação de vitima, porém, não apresentava sinais de ter sido amarrado, como alegou ter ficado por horas sob a mira de uma arma de fogo.

Diante das contradições dos relatos de Gilvan e de informações dadas por Ulansy, que levantam muitas suspeitas, o delegado Fábio Campos, que assumiu o caso após o flagrante registrado pela Delgada Solângela Guimarães, decidiu pela prisão dos dois envolvidos até que os fatos sejam realmente esclarecidos.


NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade