Autor: Comando190 - 09/07/2018 13h21

PM e PC prendem membros da LCP após invadir fazenda e torturar proprietários por quase 12 horas, em Alvorada do Oeste


No final da tarde deste sábado, dia 07, cerca de 15 indivíduos, todos encapuzados e armados com pistolas e até fuzil, invadiram a Fazenda Verde Vale, localizada na BR 429, a aproximadamente 08 KM do município de Alvorada do Oeste, e renderam todos os funcionários. Um outro bando, conseguiu interceptar os proprietários que estavam em outro ponto da fazenda e levaram todos para a sede da fazenda.

Segundo as vítimas, em todo momento a quadrilha mencionava que fazia parte da LCP (Liga dos Camponeses Pobres) e que eles estavam dispostos à morrer, se preciso fosse.

TERROR E SAQUE

Enquanto eram mantidos reféns sob a mira de armas de fogo, as vítimas eram torturadas e humilhadas pelos criminosos. Um deles chegou a coloca o cano de uma pistola na boca do proprietário e falou que só não iria mata-lo por que não tinha a autorização do chefe do bando. “Eles falaram que queriam me matar a todo custo e que só estavam aguardando o sinal. Nunca imaginei passar por um terror deste tipo”, disse uma das vítimas que precisou ser hospitalizada devido ao seu estado emocional.

Os funcionários foram espancados e ameaçados de morte caso permanecessem trabalhando na fazenda.

Enquanto o bando promovia um verdadeiro ato de terrorismo com as vítimas, os bandidos aproveitavam para vasculhar a casa atrás de bens de valores e acabaram encontrando várias joias e duas armas de fogo registradas. Os mantimentos que estavam armazenados no depósito foram saqueados e os produtos que não puderam levar, destruídos ali mesmo.

Já de madrugada, o bando colocou as vítimas em um veículo e seguiram sentido a cidade de Ji-Paraná, onde elas foram libertadas próximo a rodoviária.

MANUTENÇÃO DA ORDEM

Logo que as vítimas procuraram as autoridades policiais, foi montado uma Força Tarefa composto por Policiais Militares do 11º BPM (São Miguel), 4º BPM (Cacoal), 2º BPM (Ji-Paraná) e Policiais Civis de Alvorada, com o apoio de um helicóptero do NOA (Núcleo de Operações Especiais) da SESDEC.

O Comandante Geral da PMRO, Coronel PM Ronaldo, auxiliado pelo Coordenador Regional de Policiamento 2, Coronel PM Plínio, coordenou toda a ação “in loco”.

Ao chegar em uma das entradas da fazenda, por volta das 09h00, os Policiais foram recebidos por um grupo de sem-terra que estavam encapuzados e empunhando facões e bandeiras da LCP (Liga dos Camponeses Pobres). Rapidamente, eles foram abordados, desarmados e presos. Parte do bando conseguiu fugir entrando em uma área de mata fechada.


Na sede da fazenda, os policiais se depararam com um verdadeiro rastro de destruição. Nem os alimentos e bebidas que estavam na geladeira escaparam da ação dos marginais.


CRIMES

De acordo com o Delegado Titular de Alvorada, Dr. Fred Matos, os mais de 50 conduzidos foram flagranteados pelos crimes de “Roubo, Esbulho Possessório, Associação Criminosa, Corrupção de Menores e Cárcere Privado”.

“Nós vamos apurar dentre os vários crimes e fazer a correta qualificação, identificação e individualização da conduta de cada indivíduo desses. Um dos conduzidos já foi preso 03 vezes e em uma das prisões estava dirigindo uma caminhonete roubada tentando atravessar para a Bolívia”, informou o delegado.

O Comandante da PMRO, CEL PM Ronaldo, salientou que todas as ações deste tipo serão adotadas medidas rápidas para evitar que aja propagação e que o patrimônio seja destruído. “Tão logo que tomamos conhecimento do caso, estando em flagrante de delito, o Estado tem que agir, pois as vítimas passaram por Cárcere Privado durante toda noite e sofreram abusos sob mira de armas com alto poder de fogo. Sempre nesses casos vamos optar pela intervenção rápida e pronta”, esclareceu.

A Fazenda Verde Vale, mais conhecida na região como “Fazenda do Italiano”, já foi invadido por membros do MST no final de 2006, onde a invasão perdurou por 10 anos. Na época, os sem-terras saquearam a fazenda e mataram mais de 100 cabeças de gado. A carne chegou a ser comercializada na própria linha. Os invasores também queimaram pastos e destruíram todas as benfeitorias.

Em 2007, houve duas reintegrações de posse das terras e em 2009, o grupo de invasores montou acampamento na frente da fazenda, às margens da BR 429, permanecendo até meados de 2016. O acampamento foi incendiado por homens encapuzados e os invasores acabaram deixando o local.



NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade