Autor: Assessoria - 28/06/2020 23h08

Rapper SL retrata em seu novo single os problemas de estresse e depressão vividos pelos músicos

Intitulado SoLidão, a sua nova música tenta mostrar a realidade que é vivida nos bastidores por músicos iniciantes e até mesmo profissionais




O rapper ouro-pretense SL (Wesley Silva Lacerda), traz em sua nova música, que tem como título: SoLidão, uma perspectiva que atualmente é totalmente omitida. O single mostra um prisma nunca visto antes, uma realidade que é vivida nos bastidores por músicos que estão iniciando no mercado e até mesmo os que já têm certo alcance.

SL descreve a atual realidade em uma de suas frases: “É fácil julgar as pessoas pelo sucesso ou fracasso. O que todo mundo vê é apenas o palco ou o pódio. Ninguém realmente sabe o que acontece nos bastidores”.

A música retrata um cenário que é intensificado em tempos de privação social e de privação local como os que estamos vivenciando com a atual pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Baseado em estudos realizados no Reino Unido, o rapper SL vem fazendo um trabalho de representatividade em suas músicas, com foco nos artistas que sofrem de transtornos de ansiedade ou depressão decorridos do exaustivo trabalho no mercado musical local.

''Não é nenhuma novidade que o gênero alternativo, como rock, rap e o pop vem sofrendo com a hegemonia cultural devido à preferência esmagadora da maioria da população pelos gêneros mais comerciais como sertanejo e funk. “Por conta disso, a saúde mental e psicológica dos artistas de gêneros alternativos é diretamente afetada”, exemplifica SL.

Segundo o rapper, isto pode parecer apenas um problema local. Contudo, de acordo com o mesmo, pesquisas realizadas pela Universidade de Westminter, a pedido da Help Musicians UK (ONG que ajuda músicos em estado de risco), afirmam que aproximadamente 80% sofrem estresse, ansiedade e depressão e episódios depressivos que afetam até três vezes mais a categoria do que a população em geral.

Ainda conforme SL, tais problemas são proporcionalmente ligados à cobrança no material artístico e a julgamentos devido ao não atendimento das expectativas. Acrescenta que, além de problemas exteriores, como mostrados anteriormente, todo processo artístico realizado vem com uma cara extenuante de autocobrança na criatividade, o que acaba por incapacitar muitos músicos que se frustram com o padrão de perfeição. E, quando não o alcançam e não são reconhecidos pelo seu público alvo, isso acaba abalando fortemente seu psicológico, podendo, não raramente, causar a depressão.

Na visão de SL, este é um problema que não afeta apenas músicos pequenos. De acordo com o site da UBC (União Brasileira de Compositores), a elevação de problemas psicológicos, como a depressão, pode, em seus últimos estágios, levar a ato de suicídio, por exemplo, o que aconteceu com o vocalista da banda Linkin Park, Chester Bennington, que cometeu o ato no ano de 2017.

SL lembra que no Brasil já houve casos como o de Lucas Lucco e do padre Fábio de Mello que, em redes sociais, comunicaram a seus fãs e amigos que estavam sofrendo de depressão.






NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade