Autor: Gazeta Central - 13/01/2021 22h18

Prefeitura de Ouro Preto do Oeste realiza abordagem social junto a moradores de rua

Durante a ação, foram retirados cinco moradores das ruas. Quatro foram encaminhados para casas de familiares e contra um havia um processo de furto praticado em Jaru




A Prefeitura da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), com apoio da Polícia Civil e Polícia Militar, realizou, na manhã desta quarta-feira (13), uma ação integrada de abordagem social junto a moradores em situação de rua.

A ação, que também contou com assistentes sociais e a psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), abordou e recolheu cinco pessoas, sendo que alguns foram conduzidos à Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), por não portarem nenhum documento de identificação.

Dos cinco abordados, dois eram amigos, sendo os mesmos encaminhados para casa do irmão de um deles em Porto Velho. Os outros dois, levados para residências de seus respectivos irmãos no município de Ji-Paraná, sendo que um reside na cidade e outro, na zona rural.

Já o quinto morador de rua, forneceu nome falso para os policiais que, após realizarem uma busca no sistema, descobriram que havia contra o mesmo um processo de furto cometido na cidade de Jaru, sendo preenchido um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra o mesmo.

Na manhã de terça-feira (12), mais um morador de rua foi preso em Ouro Preto do Oeste, após uma briga entre ele a ex-namorada. Ao serem conduzidos à Unisp, descobriu-se que havia um mandado de prisão em aberto contra o mesmo, expedido pela Vara Criminal na Comarca de Ariquemes.
O prefeito Alex Testoni (DEM) parabenizou a assessora especial Geany Rodrigues Silva Oliosi e toda a equipe da SEMAS e CREAS e, em nome do delegado de Polícia Civil, Niki Alves Locatelli, e da comandante da PM de Ouro Preto, tenente PM Jaquilene, agradeceu os policiais que participaram da ação.

Testoni destacou que esta ação será contínua e ressaltou que problemas sociais como este requerem atenção e, acima de tudo, um trabalho constante. “Muitos requerem auxílio para se recuperarem da dependência de vícios e aproximação dos vínculos familiares. Porém, também alguns deles representam perigo para a sociedade por serem criminosos e, em alguns casos, são foragidos da justiça”, frisou.

Para o delegado Niki, ações como esta que ocorreu nesta quarta-feira (13) são de grande importância para os próprios moradores em situação de rua, que têm a oportunidade de receber auxílio de saúde, social e até mesmo serem encaminhados para a casa de familiares. Outro ponto positivo, segundo Niki, é quanto à segurança para a população, uma vez que serão verificadas as identidades dos abordados e verificado se possuem algum mandado ou qualquer outro problema com a justiça.

De acordo com Geany, a Assistência Social hoje é uma política pública de direito de todo aquele que dela necessitar. E esse direito não inclui só os vulneráveis economicamente, pois vai além de uma classe econômica, alcança todos aqueles que tiveram seus direitos violados e ou ameaçados.

“O trabalho junto aos moradores de rua tem por objetivo maior o resgate da cidadania e da autonomia. Vislumbramos essas pessoas como capazes e passíveis de melhoria de vida, e essa capacidade depende muito de nós, em dar a eles oportunidades e possibilidades de mudanças de hábitos e atitudes”, concluiu a assessora especial.


Não dê esmola. Dê dignidade.

A Prefeitura irá lançar nesta sexta-feira (15) a campanha “Não dê esmola. Dê dignidade” e terá como objetivo conscientizar a população ouro-pretense a não doar esmolas a moradores em situação de rua e, ao mesmo tempo, desmistificar a cultura de que esmola ajuda.





NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade