Autor: Gazeta Central - 07/04/2021 13h25

Após quase quatro décadas de dedicação ao serviço público, Carlos Amante se aposenta

“Despeço-me dos meus colegas, grandes amigos, verdadeiros irmãos de farda, com dezenas de anos de convívio, de vitórias e lutas”, despediu-se Carlos Amante.




Depois de quase quatro décadas, mais precisamente 39 anos e cinco meses, de sua vida dedicada ao serviço público no Estado de Rondônia, o agente de saúde pública do quadro do Ministério da Saúde (MS) Carlos Antônio Amante alcança sua tão merecida aposentadoria. Em todos estes anos de trabalho, nunca apresentou um atestado médico.

Carlos Amante iniciou a carreira na vida pública ainda jovem, com apenas 22 anos, isso em 1981, quando se mudou da cidade capixaba Ecoporanga para Ariquemes, no Estado de Rondônia, onde passou a trabalhar na extinta Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (SUCAM).

Três anos depois, em 1983, mudou-se para o município de Ouro Preto do Oeste, onde fez parte ativamente no combate à malária, tendo atuado como microscopista. Ao longo de sua dedicada carreira, também atuou como pesquisador de campo nas áreas de malacologia, (caramujos), e esquistossomose, epidemiologia do mosquito aedes aegypti, febre amarela, dengue, chikungunya, zika vírus, doenças tropicais e doença de Chagas.

Destaque para a ascensão durante sua trajetória junto ao Ministério da Saúde em Rondônia, tendo participado de simpósios e seminários como ouvinte e, principalmente, como palestrante. Amante fez parte de equipes de pesquisas em vários estados do Pais, na Fiocruz, Angevisa, USP, René Rachoou, Instituto Osvaldo Cruz, tendo inclusive seu trabalho de pesquisa como tema de mestrado e doutorado.

Carlos Amante também sempre foi um homem temente a Deus, sendo teólogo. Faz parte de um trabalho de apoio na Igreja Batista. Ele também é jornalista e atua como colunista no site Gazeta Central, onde escreve sobre diversos temas, principalmente religião e política.

Ele relembra que amava grandiosamente o que fazia e, durante sua vida como servidor público, teve o grande prazer de conhecer pessoas maravilhosas que se tornaram eternos amigos e aprendeu muito com esta longa convivência, aos quais só tem a agradecer a cada um deles.

“A minha sensação é um misto de realizações de dever cumprido e sentimento de separação por algo apaixonante que me dava muito prazer, área de pesquisa de campo, e por deixar os colegas, grandes amigos, verdadeiros irmãos de farda, com dezenas de anos de convívio, de vitórias e lutas”, destacou Carlos Amante.


NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade