Autor: Queren Pessoa - 25/01/2021 18h20

Afinal, quem sou eu?




Existe uma patologia conhecida como prosopagnosia ou cegueira facial, que incapacita a pessoa de reconhecer rostos.

Nos casos mais graves, a pessoa chega a não reconhecer a própria aparência, sendo incapaz, por exemplo, de se identificar em fotos.

Essa condição leva o indivíduo a uma constante busca por sua própria identidade facial, que se torna apenas mais uma em meio às demais.

A questão é que, infelizmente a prosopagnosia não é a única capaz de nos impedir de reconhecer que somos diferentes, também existe a comparação.

Amy Kan afirma que “julgar-se pelos outros é uma comparação entre maçãs e laranjas”.

Logo, a comparação nos leva a uma permanente busca por um ideal inalcançável e, por consequência, pela perda do real, perda de si próprio.

Portanto, pare de se comparar com os outros, busque conhecer-te a ti mesmo e assim saberá discernir o “seu rosto” dos demais.

Autora: Queren Pessoa



COLUNAS RELACIONADAS