Publicidade
Autor: Gazeta Central - 10/04/2018 21h40

Ouro Preto: carga de peixe é saqueada após acidente envolvendo carreta de frigorífico

Nem a empresa e tampouco a PRF autorizou os cidadãos a pegarem os peixes.


Foto: Edmilson Rodrigues / Correio Central

Centenas de pessoas deram um bom exemplo ao ajudarem no resgate de um caminhoneiro preso às ferragens e auxiliaram na recuperação de toda a carga de peixe de um caminhão frigorífico, após o acidente que ocorreu na noite deste sábado (7), por volta das 19h30, noquilômetro 380 da BR-364, próximo à cidade de Ouro Preto do Oeste.

Este deveria ser o teor da matéria, por se tratar de uma população que tanto clama por ética e que critica ferozmente a corrupção, principalmente dos políticos. Mas, infelizmente, não foi isso que ocorreu durante o acidente envolvendo o caminhão frigorífico carregado de peixes pertencentes à empresa Zaltana Pescados.

Quem passava pela BR naquele momento descreveu a cena como estarrecedora e lamentável, ao flagrar pais de família, jovens, cidadãos com grande poder aquisitivo entre centenas de outras pessoas pertencentes à sociedade ouropretense dando um péssimo exemplo. Inacreditavelmente, saquearam toda a carga de peixes e até mesmo as caixas plásticas.

“Se eu não pegar, outro pega, então eu peguei”.Esta foi a inaceitável justificativa de uma das pessoas que participaram do saque à carga de peixes, atitude considerada pelo Código Penal como crime de furto, com pena prevista de um a quatro anos de prisão.

Como se não bastasse, nas redes sociais WhatsApp e Facebook dessas mesmas pessoas, que horas antes postaram críticas aos políticos corruptos e clamavam por um Brasil mais digno e ético, passaram a postar fotos dos peixes saqueados e até mesmo das caixas plásticas,como se fossem troféus. Alguns chegaram ao ponto de oferecer para a venda os referidos peixes.

Foto: divulgação / WhatsApp Imagem postada em rede social de uma das pessoas que supostamente teria pego alguns peixes após o acidente.

A maioria deles sequer procurou saber da situação em que se encontrava o motorista, que ficou preso por horas às ferragens da cabine do caminhão. O comandante do Corpo de Bombeiros, capitão BM Moacyr, que participou do resgate, relatou que durante o procedimento evitou que a carga fosse subtraída. E, após colocar a vítima dentro da viatura, avistou três pessoas dentro da cabine do caminhão e ordenou para que eles se retirassem.

O capitão, antes de sair do local, relatou que explicou a dois agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que atendiam a ocorrência, que havia risco de o veículo tombar e machucar alguém. Em seguida, a guarnição do Corpo de Bombeiros se deslocou ao Hospital Municipal de Ouro Preto do Oeste levando a vítima.

PRF

Contatada, a assessoria de imprensa da PRF informou que não houve qualquer tipo de estímulo ou autorização por parte dos agentes para que populares saqueassem a carga. Disse que acionaram a seguradora, porém, em virtude de outro acidente entre duas carretas, tiveram que deixar o local, uma vez que não havia risco de acidentes.

Zaltana Pescados

A empresa, por meio de nota, disse que a Zaltana Pescados ou seus representantes legais não autorizaram ou autorizam a coleta, distribuição, fornecimento ou consumo dos peixes que se encontravam dentro do caminhão envolvido no acidente. Presumiram que houve saqueamento da carga e, como se não bastasse o prejuízo causado pela perda dos pescados, danos ao caminhão frigorífico e ao bem-estar do condutor, houve também a perda de inúmeras caixas plásticas devidamente identificadas com o nome da empresa.

Destacou que o risco de consumo dos peixes saqueados é iminente, considerando que a exposição, forma de consumo, materiais químicos e outros derivados podem comprometer a saúde de quem os consumir e que a empresa não se responsabiliza pelas consequências.


NOTÍCIAS RELACIONADAS