Autor: G1 RO - 06/12/2021 22h59

Indígenas de RO são premiados por produzirem os melhores cafés robustas amazônicos

O campeão do concurso neste ano foi Jair Suruí, que produziu um robusta amazônico com 90,42 pontos.




Uma live realizada na manhã deste sábado (4) anunciou os nomes dos cafeicultores indígenas que produziram os melhores cafés robustas amazônicos em 2021, através do projeto Tribos, que chega em sua terceira edição.

O campeão do concurso neste ano foi Jair Suruí, que produziu um robusta amazônico com 90,42 pontos. Ele vai receber o prêmio de R$ 25 mil e mais R$ 3 mil por saca comercializada com a maior indústria de torrefação do Brasil.

Jair Surui levou melhor nota de café robusta amazônico em 2021 — Foto: Youtube/Reprodução


Neste ano, 65 amostras de café robusta amazônico foram inscritas no concurso. Desse total, 86% tiveram notas acima de 80 pontos, o que classificam como cafés especiais, mas os dez melhores produtores foram premiados.

Do 5° ao 10° lugar, os premiados vão receber R$ 5 mil reais por saca de café robusta amazônico.

Abaixo, confira os nomes dos 10 ganhadores de qualidade do café na edição 2021 do Tribos:

1-Jair Suruí: 90,42 pontos
2-Yabilor Suruí: 90 pontos
3-Alessandra Makurap: 89,75 pontos
4-Hermes Surui: 89,67 pontos
5-Melissa GoBpoto Surui: 89,21 pontos
6-Darlan Oykoy Surui: 88,42 pontos
7-Joel Oyyeter Surui: 88,38 pontos
8-Valcenir Canoé: 88,25 pontos
9-Robson Surui: 87,75 pontos
10-Valdir Ferreira Aruá: 87,25 pontos


O que é o projeto Tribos?
Segundo os organizadores, o Grupo 3 Corações, o Projeto Tribos está baseado em três focos: protagonismo indígena, produção de cafés com qualidade e sustentabilidade. Ou seja, Tribos foi desenvolvido para fomentar um desenvolvimento sustentável da floresta.

Ao todo, 132 famílias produtoras de café nas Terras Indígenas Sete de Setembro, em Cacoal, e Rio Branco, em Alta Floresta do Oeste participam do projeto Tribos.

A produção de café Robusta Amazônico Especial, premiado pelo projeto, agora vai chegar a todos os brasileiros.

Embrapa Rondônia, Funai, Emater-RO, Secretaria de Agricultura de Alta Floresta D’Oeste e Câmara Setorial do Café são parceiros do projeto.


NOTÍCIAS RELACIONADAS



Publicidade